Projeto Malha D’água começa a ser executado

79F6FC91-90A9-4A15-B7CB-DD17B419C9AC.jpeg

O Projeto Malha D’água é uma nova estratégia no abastecimento hídrico do Ceará. O Investimento relativo à primeira fase do Malha D’água, é considerado o maior programa de adutoras do Brasil

A Secretaria dos Recursos Hídricos iniciou, no mês de setembro, a execução do Sistema Adutor Banabuiú-Sertão Central, referente a 1ª Etapa do Projeto Malha D’água. A parte inicial da execução foi o transporte dos tubos e conexões ao município de Banabuiú, onde será construída a primeira Estação de Tratamento (ETA) e a captação da adutora. Já foram realizados, também, os projetos executivos e hidráulicos da obra, levantamento topográfico, licenças ambientais, além dos planos pilotos de tratamento de água para definição da metodologia.

A primeira etapa da obra inclui os municípios de Banabuiú, Solonópole, Jaguaretama e Milhã. Segundo o Assessor de Projetos Especiais da SRH, Gianni Peixoto, a Secretaria dos Recursos Hídricos já obteve junto às prefeituras municipais as autorizações para implantação do sistema adutor ao longo das faixas de domínio das mesmas. “Estamos agora em processo para a legalização da Licença de Instalação (LI), junto à Semace, para que daí a obra possa iniciar”.

A obra será realizada por seções. A 1ª será constituída pela Estação de Tratamento (ETA) e pela captação de água bruta. Da 2ª a 5ª seção serão constituídas pelos trechos do Sistema Adutor dimensionados para os abastecimentos das localidades, com prazos distintos em cada seção.

Os primeiros municípios beneficiados com o Projeto Malha D’água serão Banabuiú (sede e Laranjeiras), Jaguaretama (sede) e Solonópole (sede, Assunção, Cangati, Pasta e Prefeita Suely Pinheiro).

Na segunda etapa serão beneficiados Dep. Irapuã Pinheiro (sede, Aurora, Bixio, Betânia, Marotoã e Velame) e Milhã (sede, Baixa Verde, Barra, Carnaubinha, Ipueira, Monte Grave). Na sequência serão beneficiados Piquet Carneiro (sede, Catolé da Pista, Ibicuã e Mulungu), Senador Pompeu (sede, Bonfim, Codiá, Eng. José Lopes e São Joaquim do Salgado), Mombaça (sede e Cangati), Pedra Branca (sede e Mineirolândia) e Quixeramobim (Encantado).

Na última etapa do Projeto, serão beneficiados Mombaça (Açudinho dos Costas, Boa Vista, Carnaúbas, Catolé, Cipó, Manuel Correia, São Gonçalo do Umari e São Vicente), Pedra Branca (Capitão Mor, Santa Cruz do Banabuiú e Tróia) e Tauá (Barra Nova/Bom Jesus).

Conheça o Projeto Malha D’água

Com o Malha D’água, o Estado vai adensar a rede de adutoras, considerando todos os centros urbanos cearenses, com captação realizada diretamente nos mananciais com maior garantia hídrica. A primeira fase do projeto contempla a construção do sistema Adutor Banabuiú – Sertão Central com quase 700 km de extensão (291,61 km de adutora principal e 396,48km de ramais adutores), para fornecer água tratada para nove sedes municipais e 38 sedes distritais. O investimento é de R$ 643,3 milhões, com recursos do Governo do Ceará, obtidos por meio de contrato do Banco Mundial.

As próximas etapas do Malha D’água vão seguir o planejamento coordenado pela SRH, responsável por capitanear a política estadual de recursos hídricos. “É um projeto que não só beneficia o abastecimento humano da região, mas indiretamente a área produtiva, porque cada município tem seu açude. Senador Pompeu, por exemplo, tem um açude Patu, que é símbolo da produção agropecuária do Sertão Central. Na hora que a água do Banabuiú, tratada com estação de tratamento de última geração, chega a sede e distritos de Senador Pompeu, a água do Patu pode ser liberada para atividade produtiva”, exemplificou Francisco Teixeira, titular da SRH.

Fonte: tvprincesavalenews.
Foto:Reprodução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

scroll to top