Noiva morre em casamento após convidado dar tiros ao alto em comemoração

45CA3485-A901-4B8E-AEC2-A1C32302AD63.jpeg

Uma noiva morreu durante seu próprio casamento após ser atingida na cabeça por uma bala perdida, durante uma rodada de tiros comemorativos em Shiraz, no Irã.

De acordo com o New York Post, a tragédia aconteceu logo depois que Mahvash Leghaei, 24, havia acabado de sair da cerimônia ao lado do noivo. Um dos convidados decidiu homenagear o casal disparando tiros cerimoniais para o alto. No entanto, esse costume é considerado ilegal no país.

O homem usou um rifle de caça não licenciado para fazer a exibição festiva. Ao abrir fogo pela primeira vez, não houve incidentes e os convidados do casamento ficaram empolgados com a performance. Na segunda vez, a bala atingiu Mahvash, atravessando seu crânio e ferindo outros dois convidados, segundo testemunhas.

O noivo e os demais convidados ficaram chocados com a tragédia e imediatamente acionaram a polícia. Mahvash entrou em coma e foi rapidamente atendida por paramédicos, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. As outras duas vítimas de bala perdida tiveram ferimentos leves e passam bem.

Em entrevista ao site Newsflash, o coronel Mehdi Jokar, responsável pelo caso, relatou: “Recebemos uma chamada de emergência de um tiroteio em um salão de casamentos na cidade de Firuzabad e os policiais foram enviados para lá o mais rápido possível”.

O coronel Jokar disse que o acidente provavelmente ocorreu devido ao “mau controle da arma” e às “multidões” ao redor.

Após o incidente, o atirador não identificado, que supostamente é primo do noivo, fugiu da festa com a arma, mas foi localizado pela polícia logo depois e detido.
“Naturalmente, qualquer perturbação da ordem pública como essa traz riscos à segurança, e as pessoas precisam saber zelar por uma comunidade segura. Atirar é proibido em casamentos”, explicou Jokar. “Tomaremos medidas duras contra qualquer pessoa que infrinja essa regra.”

Mahvash Leghaei trabalhava como assistente social, com foco no cuidado de usuários de drogas. A família da noiva alegou que era desejo dela que, se morresse cedo, seus órgãos fossem doados. Após o óbito, o procedimento foi realizado e três pacientes receberam órgãos da iraniana.

Fonte:UOL Notícias.
Foto:Reprodução.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

scroll to top