Em nota, Forças Armadas dizem que acolhem manifestações e condenam excesso de ‘restrições de direitos’

190121-Soldados.jpg

As Forças Armadas publicaram na manhã desta sexta-feira (11/11), uma nota em que fala sobre manifestações e deixa clara a posição do Exército, Marinha e Aeronáutica. A carta é endereçada ao povo brasileiro e às instituições.

A nota vem depois que o presidente Jair Bolsonaro convocou uma reunião ministerial de emergência no Palácio da Alvorada, com a presença dos comandantes do Exército, Freire Gomes; da Marinha, Almir Garnier Santos, e da Aeronáutica, Carlos de Almeida Baptista Junior.

Na carta, os comandantes acolhem as manifestações populares, ressaltam a independência dos poderes e os objetivos primários das Forças Armadas: a Legalidade, Legitimidade e Estabilidade. Além disso, condenaram as “restrições a direitos por parte de agentes públicos” e “excessos cometidos” em atos pelo Brasil.

A nota afirma ainda que as “autoridades da República” devem estar atentas “a todas as demandas legais e legítimas da população” e reitera “a crença na importância da independência dos Poderes, em particular do Legislativo, Casa do Povo, destinatário natural dos anseios e pleitos da população, em nome da qual legisla e atua”.

“A construção da verdadeira Democracia pressupõe o culto à tolerância, à ordem e à paz social”; “As Forças Armadas permanecem vigilantes, atentas e focadas em seu papel constitucional na garantia de nossa Soberania, da Ordem e do Progresso, sempre em defesa de nosso Povo”.

Além disso, ressaltaram os ‘valores e tradições’ das Forças, ‘sempre presentes e moderadoras’, para assegurar a estabilidade.

As Forças Armadas publicaram na manhã desta sexta-feira (11/11), uma nota em que fala sobre manifestações e deixa clara a posição do Exército, Marinha e Aeronáutica. A carta é endereçada ao povo brasileiro e às instituições.

A nota vem depois que o presidente Jair Bolsonaro convocou uma reunião ministerial de emergência no Palácio da Alvorada, com a presença dos comandantes do Exército, Freire Gomes; da Marinha, Almir Garnier Santos, e da Aeronáutica, Carlos de Almeida Baptista Junior.

Na carta, os comandantes acolhem as manifestações populares, ressaltam a independência dos poderes e os objetivos primários das Forças Armadas: a Legalidade, Legitimidade e Estabilidade. Além disso, condenaram as “restrições a direitos por parte de agentes públicos” e “excessos cometidos” em atos pelo Brasil.

A nota afirma ainda que as “autoridades da República” devem estar atentas “a todas as demandas legais e legítimas da população” e reitera “a crença na importância da independência dos Poderes, em particular do Legislativo, Casa do Povo, destinatário natural dos anseios e pleitos da população, em nome da qual legisla e atua”.

“A construção da verdadeira Democracia pressupõe o culto à tolerância, à ordem e à paz social”; “As Forças Armadas permanecem vigilantes, atentas e focadas em seu papel constitucional na garantia de nossa Soberania, da Ordem e do Progresso, sempre em defesa de nosso Povo”.

Além disso, ressaltaram os ‘valores e tradições’ das Forças, ‘sempre presentes e moderadoras’, para assegurar a estabilidade.

Leia a nota na íntegra clicando aki.

Fonte: PortaldoTrono.com

Foto: Reprodução Exército Brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

scroll to top